Saiba como usar Mnemônicos para Concursos!

mnemônicos para concursos

Aplicar a técnica de aprendizagem com mnemônicos para concursos pode te ajudar a passar no dia da prova.

Desde cedo, ainda na escola, passamos a usar a técnica para gravar fórmulas matemáticas, elementos da tabela periódica e o uso correto de advérbios nas provas de português.

Tenho certeza que citando os exemplos acima algo lhe pareceu familiar, não?

Para quem estuda para concursos, essa estratégia é ainda mais útil e necessária.

Afinal, o tamanho dos editais e a dimensão dos conteúdos é enorme.

O que torna impossível aprender ou simplesmente decorar tudo de uma vez, apenas lendo ou respondendo questões.

Neste artigo, vamos dar alguns exemplos e mostrar como você pode aplicar a técnica de mnemônicos para concursos.

Mnemônicos para Concursos: Como funciona?

O objetivo da técnica Mnemônicos para Concursos é destacar informações na mente.

Em geral, as pessoas usam prefixos, inícios de palavras ou sufixos para formar siglas ou frases que ajudem a lembrar de conceitos, fórmulas, listas, tabelas.

Além de reforçar a leitura e o aprendizado, faz uma associação automática a algo simples, muito fácil de lembrar.

É triste dizer, mas estudos indicam que em 24 horas esquecemos até 50% do que aprendemos.

Já em 48 horas, apenas dois dias, esquecemos até 70%.

Isso porque aprendemos muita coisa ao longo da vida e nem sempre o cérebro dá conta de gravar.

Assim, nossa mente retém aquilo que entende ter importância, como se fossem informações “sinalizadas”.

Sabe quando marcamos como “importante” uma tarefa na agenda?

É assim que funciona o método mnemônico: marcar como “importante” uma informação.

Conheça alguns tipos de mnemônicos e alguns exemplos.

Confira como vai acontecer o Concurso do IBAMA 2022!

mnemônicos para concursos

Exemplos de mnemônicos

Se você já estuda para concursos há um tempo, com certeza já viu por aí o “L.I.M.P.E”, um dos mnemônicos mais conhecidos para quem está estudando direito.

O objetivo é fazer o aluno lembrar dos princípios administrativos, dispostos no artigo 37 da Constituição Federal.

Atente-se para a letra inicial de cada palavra, porque a partir da sigla, temos:

  • L – Legalidade
  • I – Impessoalidade
  • M – Moralidade
  • P – Publicidade
  • E – Eficiência.

Outro bom exemplo é a frase “Vou voar mais alto”, criada para quem quer lembrar da fórmula para o cálculo da velocidade: V = V0 + at.

Simples e eficiente, não? Mas há outros exemplos para casos mais complexos.

Vamos conhecer os principais tipos e, a partir deles, você mesmo vai poder soltar sua criatividade e criar seus próprios mnemônicos.

Acrônimos

É o método mais simples, em que as palavras viram uma sigla.

É certamente o fácil de lembrar, usado principalmente para nomes de órgãos e instituições, mas há vários usos, como:

  • STF (Supremo Tribunal Federal)
  • PF (Polícia Federal)
  • Depen (Departamento Penitenciário Nacional)
  • ADI (Ação Direta de Inconstitucionalidade)
  • CRLV (Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo).

Acrósticos

Um exemplo é o “LIMPE” citado mais acima, são novas palavras ou mesmo frases surgidas a partir de uma lista ou contexto.

Essa é mais usada para lembrar de trechos mais longos.

Amplamente utilizada por estudantes de direito, que precisam decorar trechos da CF (Constituição Federal) ou CP (Código Penal), por exemplo.

Um exemplo é o SoCiDiVaPlu, para lembrar dos Fundamentos da República Federativa do Brasil:

  • So – soberania
  • Ci – cidadania
  • Di – dignidade da pessoa humana
  • Va – valores sociais do trabalho e da livre iniciativa
  • Plu – pluralismo político.

Outro muito conhecido é a frase Com Garra Erra Pouco, que resume os objetivos fundamentais listados também na CF:

  • I – construir uma sociedade livre, justa e solidária;
  • II – garantir o desenvolvimento nacional;
  • III – erradicar a pobreza e a marginalização e reduzir as desigualdades sociais e regionais;
  • IV – promover o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação.

Visualização

É uma maneira de criar imagens mentais, como gráficos ou figuras, para lembrar de conceitos.

Como a Guerra Fria, por exemplo, que você pode lembrar que se tornou “fria” por não ter “fogo”, já que foi um período de disputas, mas sem conflitos armados diretos.

Esses são apenas alguns exemplos de mnemônicos para concursos, mas você também pode criar seus próprios mnemônicos para aqueles assuntos que está tendo dificuldade de aprender.

Acompanhe mais artigos sobre concursos no nosso blog!

Por Concursos Abertos Brasil em 21/05/2022 Concursos Abertos Brasil é um portal relacionado a publicação de concursos de todo o Brasil.